(87) 3847 - 2049

9 9603 - 0609

9 9958 - 7530

A Número

do seu 

Coração!

Governo de PE promete mutirão para diminuir filas de exames no Hospital das Clínicas

19 JUL 2017
19 de Julho de 2017

A baixa quantidade de fichas para exames de ultrassonografia e um defeito no equipamento que imprime os exames de Raio-X têm causado filas e transtornos para pacientes do Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Zona Oeste do Recife. Para tentar diminuir o transtorno de quem espera até três dias em frente à unidade hospitalar, a Secretaria de Saúde de Pernambuco informou, nesta quarta-feira (19), que vai disponibilizar vagas para exames nas Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (Upaes). 


Em entrevista ao Bom Dia Pernambuco, a secretária executiva de Atenção à Saúde do estado, Cristina Mota, informou que um sistema online de gerenciamento vai direcionar os pacientes que estão na fila do HC às unidades de saúde geridas pelo estado. O foco principal é contemplar quem mora no interior e precisa ir à capital pernambucana para ser atendido.


Na prática, o HC, que recebe recursos do governo federal, vai lançar no sistema os nomes de quem aguarda na fila para os exames. Em seguida, a secretaria estadual vai mandar os doentes para unidades estaduais de saúde mais próximas de onde moram essas pessoas.


“Não vai ser preciso que o paciente marque os exames. Com o HC, vamos disponibilizar um sistema online, no qual todos os dados do paciente vão ser inseridos e, posteriormente, serão alertados do dia, hora e local do exame. Nosso foco vai ser no interior, onde o sofrimento é visivelmente maior. O paciente só precisa ir ao local, na hora marcada, e fazer o exame”, disse Cristina.


De acordo com superintendente do Hospital das Clínicas, Frederico Jorge Ribeiro, que também participou da entrevista no Bom Dia Pernambuco, os pacientes prejudicados estão na lista de chamada para realizar os exames, quando o atendimento for restabelecido. Entre eles estão doentes que foram surpreendidos pela quebra no aparelho de impressão do Raio-X ou que não conseguiram vagas para ultrassom.


“Fizemos um rearranjo interno para zerar a fila de tomografia, por exemplo, e vamos repetir o esquema com as ultrassons. Os funcionários que fazem outros exames vão fazer mais ultrassons até que a fila zere. Já temos os nomes e telefones e vamos comunicar os pacientes assim que possível”, disse.

Voltar


Tá Feliz

Tá na Cidade,